30 de abril de 2010

[ Saudoso nada ]

"O nada é a forma mais intensa de transformá-lo em algo. Mesmo que não seja o que esperam, pode ser o suficiente para que note-se que o insuficiente era um nada transformado. O nada é o tudo que você sempre o questiona! Se não é nada, porque perguntas? Se algo não fosse de ser feito para termos outras questões, o nada seria apenas um assunto de mesa de bar, mas o transforme num vaso de flor, plantando uma ali... Nasce pétalas, cria-se uma vida, e podemos sentir um cheiro. E eu sendo um nada, me faço o tudo que me faz suficiente para criar, inventar... Recebendo apresentações, que do nada que conhecem, algo se têm!"

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...