26 de maio de 2010

     E vou navegando num barco sem rumo. Parando em meio a costa voraz dum mar. E vou pensando que sei nadar sem um colete salva-vidas. E vou deixando o colete salva-vidas, colocando meus pés em terra. Estando na terra, me criarei asas pra voar... Planarei nos horizontes perdidos, querendo encontrar os céus. Pularei as nuvens brancas, aprendendo a como desviar das poças e dos abismos. Deixarei de pedir para fazer... Não mais pensarei depois de imaginar e irei me ver com um destino, dito e pensado antes mesmo de eu, viver!

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...