21 de maio de 2010

"A questão das palavras, trata-se daquilo que pensamos. Como se escondesse aquilo que pode-se fazer com naturalidade. E então, passa a temer se descobrirem. Se faz pra que temer, podem descobrir, não? Se descobrem, não é como se antes tivesse pensado?
Pensei que o homem por seus inventos nunca quisessem que o descobrissem antes que o usassem, assim como quando descobrem o fazem."

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...