18 de junho de 2010

Interlúdio III, Persistente.

Então olhe bem no fundo dos meus olhos. E tente sentir aquele tipo de emoção que começa a nascer quando não se pode comparar as palavras com um sentir. E olhe eu correndo contra o vento... Minhas consequências, vem me trazendo o amor, o carinho, a compreensão, uma vida a qual não conspira contra mim, mas conspira contra o universo que as vezes parece até parar. Meu pensamento está tão devagar, estou ficando no ar, até o mundo acabar, eu não me acabarei. As várias temporadas, as minhas resistências. Vem Janeiro, se vai Janeiro... Que eu não serei passageiro, mas meu tempo me trará coisas passageiras ── E quem sabe você agora entenda que fazer o mundo acreditar, é ser invencível aos medos, intocável pelos males. Persistente ──

[ E não há tantas coisas, a contar
Mas acredito que ainda haverá tantas a se viver.
Porém, boas serão todas aquelas que antes deixei de fazer,
para que ainda eu os fizessem acreditar,
que pode-se sentir-se bem, temos pistas
de aterrissagens se nos sentirmos muito altos ]

Toda essa euforia pelo qual o tempo tem transtornado, o rarefeito em que a maioria dos homens negam por insuficiência física, causando o des...