8 de junho de 2010

"Mas até que lhe falte ar,
notará que viveu o tempo o suficiente para ver que nada foi simplesmente em vão.
Foi uma verdadeira e infinita passagem para a eternidade;
O que significa que nem mesmo os imortais, são imortais.
Pois os heróis morrem, como o meu morreu, além de que tudo que anda pode se parar. Tudo que pensa, pode-se quebrar!
Lapsos filosóficos,

E não quero mudar-me pelo jeito que tenho
pelas coisas que faço.
Quero somente poder mudar o tempo quando então;
O tempo somente quer me passar.
Quero ser descontínuo quando o muro me atravessar o caminho,
pois somente poderei mudar o rumo dos meus passos
Vou pra minha ponte
Não quero mudar-me...
Quero me ver vivendo a toda poesia que se faz presente no ar que eu respiro
pois não muda-se o que somos,
e sim as coisas quando as temporadas novas chegam
Se é diferente a cada olhar,
Lapsos filosóficos

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...