9 de junho de 2010

            Parafraseando.

"Não sou eu quem tenho escrito, são meus dedos que se movem de acordo com aquilo que vou imaginando. Assim como os movimentos partindo-me para os lugares desconhecidos, como se fosse então atraído-lhes a moverem-se até que teus olhos possam ver. Tua mente assentir e você, por fim não mais desejar aquele mundo de fantasias, é somente isso para te fazer agora sorrir. Ou se não, continuo a "Para-frase-ar" formando um novo lugar, onde encontra-se uma sã consciência de um "E-ter-na-mente." Tô "Para-frase-ando" para não parar de te fazer imaginar como tudo isso é possível. Sendo que nada mais lhes será impossível."

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...