1 de junho de 2010

Não lhe devo meu caráter. Pois se dar-te-ei o meu a sentir, foi porque do teu não me destes. Me mostrastes que tem. "Filosofia pros réus"

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!