5 de agosto de 2010

"E eu tenho tantos minutos,
E a cada um deles, posso lhes dizer
O que é certo, se for errado,
sei que podes corrigir-me
Eu também posso te ouvir
E ouvir o que quiser me dizer
Não se importa com o que fiz
Pense no que posso fazer
Deixe isso, você vai gritar
Ficar rubra pelas bochechas
Amor, não precisamos de nenhuma briga
Não quero teus gritos
Estarei sempre diante de ti
E tudo isso porque?
Porque a gente sabe se entender
E quem sabe haja um dia
Em que eu não mais irei te incomodar
Não dependerá nunca de mim
Pois te amo desta forma que sou
Pois conheço a forma que é
Só saiba que não acho que tudo está
Errado! E nem digo que eu estou certo
Mas é o modo que você fala as vezes
Eu crio versos ao te olhar
Invento teu sorriso ao me gritar."

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...