6 de janeiro de 2011

"Corre que é hora
Acelera que que é vago
Sobe que alguém desce
Pula e sente a adrenalina
Fecha os olhos e voa na chuva
Abre o riso e sente o vento
Tira a roupa e pula a montanha
Deixe as cortinas d'água cobrir-te
Como uma ápice que inspira
Os medos que brandam só as vazões
Abra os braços e seja a chuva a voar
Até que caía terra firme
E sinta-se onde bem quer, como
Quem sonha um dia, e realiza outro
Acelera os batimentos do coração
E viva mais através de tudo
Que agora tornou-se possíveis."

Ah, se você aprender a cantar a dor, faria dela poesia. Se cantares para a tua tristeza, ela te fará sorrir. Não é o dia frio e cinzento tri...