13 de março de 2011

"Assim como se fazem Deuses,
Se fazem vidas,
Que procriam as fantasias
E vislumbram a realidade

Como deram-nos,
O entendimento
Que paz vem dos Deuses?
Senão o que pensa deles?

No compasso dos céus, azuis
È tudo o que pede
Pelo que nos fez, quem nos confessa
Sabe do choro e do pranto?

Oferece a face para as imaginações?
Que te oferecem o encanto,
passageiro
Nada me transtorna!

Minhas vontades são como promessas
Que se realizam,
na vontade do tempo certo
E meu compromisso, esta no compasso

Que me tenho por ser simples
E acreditar,
no que mereço...
Dentro do meu peito."

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...