16 de março de 2011

"A janela."

Janela de como quem olha
E do lado de fora o silêncio
O hialino transparece o que reflete
De um pensamento que flui parado

Uma vez que seja errado
Duas vezes antes que se acerta
Acena e sim, se entende
Quer sensação descreve isso?

E mesmo que seja assim
Por fora só um corpo
Por dentro, terás a imaginação d'alma
Existir, por onde se coincide...

Interpretando as portas
Lendo todas as janelas
E vendo além dos pensamentos
O que define a filosofia

Falar sem ser
Para lhes dizerem,
Se és, para medida
De sorrir na hora certa.
//Produzido no lab de poéticas//

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...