23 de agosto de 2012

"Para sempre nunca mais."

"Seus medos, todos entregues ao ar. Como se uma passagem para todas as descobertas, as quais mais temia. Seria naquela trilha escura que estaria segura? Ou seria diante da escuridão que encontraria razões para jamais temer ao que se pensava?

È agora as coisas mudaram, crescemos
E você ouviu muitas histórias sobre tudo
Mas sobre tudo não há nada que viu,
e agora, será que vou ver-te em pensamento?
Seus pensamentos todos perdidos, esquecidos
E onde está sua palavra, aquela? Lembra-te...
Eu já não mais me recordo, mas te pressinto
Respirar vagamente sabendo do que vai lhes acontecer
Não é nada sobre a vida ou a morte,
È muito mais do que uma perda
São seus laços despedaçados com o tempo que passou,
Esses vidros quebrados, jogados ao chão... Seus sentimentos?"

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...