23 de agosto de 2012

Pela vida, caminhava
Um sonho infinito
Que pelo amor, se perdia
E dançava a lua sobre o céu

Sempre pelo amor,
Bailava contigo
sem você ver
Que você era o ritmo da canção

A sombra que assola o medo
E distrai o pensamento
percorre as águas silenciosas
De passos leves que sobressltam

Os lugares mais altos
Aonde alcança o brilho lunar
E toca seu corpo em efígie
E toca seus lábios...

Como a fria brisa do oceano
Que reflete o céu estrelado,
E assim, a vida dança
Como num balé estelar.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...