6 de novembro de 2012

Ansiando por um alívio,
Porque vivo num mundo turbulento?
Barulhos que atormentam o tempo
E tudo corre distante

Num vazio devasto da era
Corre tudo contra o tempo
E eu ansiando pela noite e pelo dia
Que de tão sublimes, são saudades

"Aqui sopra o vento sobre águas
E as folhagens são macias
E onde não há vida, o olhar cria
Um lugar que se faz vivo e sublime."

Suspira o canto dos pássaros
E consome a beleza os orvalhos
Aqui jaz o silêncio de uma eternidade
Uma vontade de partir para infinito

Rompendo cordões de  males
E eu anseio pelo teu riso
Que pelo dia trás a noite
Para que o momento seja sempre sublime.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...