8 de novembro de 2012



"Este silêncio que se esconde sobre os galhos das árvores, também esconde o que há por detrás de altas colinas além do visível. È como senão soubéssemos o que ouvir, quando se toca apenas uma melodia. Como se nasece uma flor, todos negam que ela tem de morrer. Como se para baixo, algumas coisas que se escondem sobre a luz do sol, não podem ser entendidas. Se há um paraíso além deste brilho do luar, se há mais do que posso ver. O universo e seus astros ainda são pequeninos diante de mim, quando penso que posso ser tudo o que quero ser além de uma mera e simples existência. Se a vida não passa de um fragmento quero compreender o significado da alma, podendo varrer os campos mais vastos e distantes de mim para além do epicentro da terra. È como saber que dentro do escuro, somos todos iguais."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...