31 de dezembro de 2012

"E então tudo passa novamente como se um dia comum? ... Como se neve na montanha. E neblina na rua. E a meia noite o sino toca. Quem sabe que não é possível imaginar uma mentira?

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!