25 de janeiro de 2013

─ “Sinto-me uma ápice intocável, por qualquer male que exista...Pois se existo sei das coisas que podem me existir!

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!