9 de fevereiro de 2013

                         Ser história, possuir um dom
                                 Ser livre, de tudo!
                  Se faz como uma criança, que nada sabe
                        Que nada quer, saiba dizer sim!

                                             Dirija o bem ao perdido,
                                     Designa palavras, mostre um caminho
                                              Nunca o lance ao abismo
                                      Voe e busque-o até que lhes falte ar
                  
                    Compreender o que há além do olhar,
                           Brandar a razão esquecida pela força!
                      Entender como se segura e sente o calor do sol.
                                      Ser uma noite fria, para se saber!


                                De sonhos que se vive e sente,
                       Podes realizar, mas o vento leva as vezes
                          Para que não busque nas pessoas,
                                    Mas pelo que se quer enxergar.

                          Tenha limites, e traga memória!
                                       Flores em vida para os dias.
                   Por que noite se desfazem e não mais voltam
SOBRE CADA FOLHA QUE CAI. SOBRE O VENTO QUE SOPRA....
                                            A quem sobre a vida ensina! 


                 

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...