9 de julho de 2013

"Como quem não compreende o que está porvir. Mas como quem sabe que coisas virão. Assim, as coisas passam como desvendares de um destino inesperado!"

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!