14 de novembro de 2013

"Para se

"Seguir estrada de terra,
Rumo a uma casa distante
Reconhecer a nós com o tempo
Ouvir o som da chuva e deitar-se na rede

Ver as gotas cairem e molharem o campo
Acariciar as flores e correr distinto
Fazer do momento uma canção ou poesia
Com quem se ama ou gosta

Sentar-se a cadeira a companhia de algo
De alguém que lhe brinde o fim da tarde
Conhecer-se por fora como quem olha as coisas
E sabe que o tempo é ligeiro como o vento

Orar os sonhos, realizar o desejo
De estar lá além-do-além
Sobre olhos que nos asseguram do sentimento
A companhia de quem sonhamos e conquistamos."

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!