28 de janeiro de 2014

"Meramente és tu,
Pelo eterno que me sinto
E todo rio como corre
Sobre o manto que te cobre

Assim as estrelas para a noite
Que ofusca o dia que vivi
Sobre tu que existe em mim
Por todas as coisas meras."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...