18 de dezembro de 2014

"Envolto os males que me atêm aos medos. Um círculo que sufoca até os pequenos anseios, onde me vejo frente a todos os abissais que são os olhos que por mim pensam. Temo o fim, de um algo que me comprometi a cuidar. Mas note bem; é como virar a página de um capítulo terminado. Recomeçar, me compreender, em querer viver mais do que antes para tudo quanto ainda não pude ser."

Rufa o tempo sobre essa silhueta

Imagem do inenarrável sentimento Que faz ressuscitar perfeita ponte Onde brinca as ondas de águas claras Riacho profundo, chamado sono D...