23 de dezembro de 2014

"Porque há algo de magnífico em ouvir a palavra de Deus. Em toda sua soberania. Aninhar o espírito em segurança, caminhar de volta para casa em meio a chuva e suas gotas libertinas. Deitar-me no som da mesma chuva a embalar a noite enquanto vejo Hugo Cabret."

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!