3 de janeiro de 2015

"Um sentimento
Introduzido no amor
Onde nada toca
E tudo flui
Como um rio
De ondas baixas
Mansas aos corpos
Que se entendem
Se encontram
E se deitam a relva
De mãos dadas
A ver as estrelas
Que bailam o céu
Em um infinito
Maravilhoso e profundo
Que nada se iguala
Um reflexo
Do pensamento
Bom, puro em devaneio
È, porque eu te amo
Assim sem saber
De qual Norte
Vem o vento
Se é sem fim
Se é o começo
De um tudo para mim
Sobre a flor deste campo
Que te dou,
Apenas me sacio
Ao seu lado em saber
Que tudo em mim
Ama tudo em você."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...