17 de abril de 2015

"Toda vez que é noite, um sonho sem sono vem tocar a minha janela. Abre sem pedir licença, e trás o vento uma sensação estranha. Esta de existir por fora e não saber o que se passa por dentro! È como um enredo, uma história que não se vive o tempo inteiro. Daí chega o sono e invade o sonho, começa-se a ir além-do-além e realizamos sem querer um evento do inconsciente. O que amamos tanto que nunca nos deixa partir, sentir, viver o princípio de uma arquitetura que planejamos antes de estarmos juntos? Que tanto nos prende que parece que nunca vamos alcançar o ponto mais elevado monte? Em um instante, muda o sonho... Porque muda o vento, num segundo, muda o mundo, porque trás de dentro a realidade. E no fim de tudo, se descobre;
                                    // "Não se sopra as bandeiras, mas se direciona as velas."

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...