20 de novembro de 2016

"Não, não são as luzes da cidade
Que nos guiam e nos levam
Onde queremos e devemos chegar
A sua força, não está nos teus braços

Mas no alcance deles,
Pode o mundo desabar, você permanece
Só que pouco sabe, sobre a vida
Pois vive o que vê, não o que sente

O coração pode ser enganoso
Mas não ser o que queremos ser, é ser mais
É calçar o eterno, pois somos amados
Desde a fundação da terra aos teus confins

Não é o amor dos homens, que nos transforma
Mas o amor, de quem nos fez, Deus!
Veja as ondas, e tome o fogo desta paixão
Que move os mares e faz nascer riachos

De nada sentimos falta, senão do lugar
Aonde o tempo não passa assim,
Derradeiro como a vida, deixa a música calar
e ouça teu coração, sobressaltar o mundo."

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...