16 de junho de 2017

"Não nasci assim,

Não nasci assim para amar as palavras
Aquecer o coração e congelar os sonhos
Não nasci assim com o coração mortal
Que sente pelo corpo, e morre no ápice das imperfeições

Não nasci assim repartido para escolher quem amar
Tampouco fingir ser o que se quer possuo
Desejar o mar e naufragar nas ilhas
Vislumbrar teu olhar e me perder nos faróis

Não nasci assim como parte do cortejo as paixões
Que definem os enganos pelas noites
Trazendo incerto amanhã, queima, sente
Não nasci assim, como quem finge amar e machuca

Torna-te lua minha, para que eu seja assim
O sol que te queima quando desce á noite estrelada
Torna-ne a nau para que eu te navegue
Horizontes longínquos e inalcançáveis...

Pois não nasci para te querer, mas te transformar
No oceano que me perco, para te achar
Pois se não nasci assim,
Em ti, me encontro como quero e preciso ser."

Rufa o tempo sobre essa silhueta

Imagem do inenarrável sentimento Que faz ressuscitar perfeita ponte Onde brinca as ondas de águas claras Riacho profundo, chamado sono D...