28 de junho de 2017

Ouço teus passos


Que me encontram,
Entardece meu jardim
Gentil fragrância, percorre
E me aproximo
Do sorriso que me aguarda
Vez após vez, fecho os olhos,
E sinto teu mover
Sobre cada canto mudo
D'onde sinto que não há lugar
Que eu me sinta mais em casa
Do que aqui...
E vou escrevendo está história...
De amor furioso...
De um sentimento titânico
Gentilmente eu sigo tua fragrância
E me encontro,
Quando antes perdido estava
Diante destes olhos
Que me procuram
Abandonando o mover emocional
E se achegando ao vento....
Retenho meu desejo e vôo,
Me desfaço de mim, e sou livre
E para ti, esta canção
E meu respirar é estar aqui,
Provisão dos lírios, dos pássaros que cantam
Vem de ti, águas mansas de um rio selvagem
Torna-me céu, para eu te ver do alto
Toca-me silenciosamente para que em tudo eu te sinta
E ame sem questionar
Sutilmente sinto tua fragrância, não como das flores do campo
Mas de como pode haver o infinito além de mim.
Teu sorriso me aguarda...
Os teus olhos me procuram

Deixe-me compartilhar com você uma memória

Dentro desse sonho, há uma imagem da morte E ela me leva onde há um saco de ossos Em que ali está o meu nome E pelo corredor daquele vale...