11 de junho de 2017

# É que na verdade, sem perceber. Arrisquei tanto conhecer a  mim, em minhas sensações febris, sendo elas muito mais silenciosas do que noites em picos de altas colinas durante as noites mais sombrias. Através dessa absoluta verdade, percebi que para se viver a dois, antes é necessário sermos um. E quando a febre havia aumentado, me sentei no sofá e sem que nada me pudesse me falar, senti que nunca guardei segredos de quem me contou um dia. Mas os meus, estavam todos selados, e ninguém além de meus pensamentos mais profundos, dos meus sabiam. Não havia de ser um segredo a dois, mas um mistério que poderia abrir abismos."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...