8 de julho de 2017

Tudo me sonda, nada me toca

Tudo me sonda, nada me toca...

Este amor, que não toco
Que tenho, vaga ao longe além dessa lua
Atenuada ao céu escuro de incontáveis estrelas
Faz-me te alcançar, além-mar

Sou a onda que te busca a eira da ilha
Escondida ao longe deste meu horizonte
O farol de teus olhos se acendem
E navego a bússola do teu perfume

Amo-te para mutilar os males
E criar nova realidade as minhas cores
Descendo a vida, para que eu não viva, apenas
Mas me complete ao te achar

Pois sou uma metade perdida
As ilhas, os outeiros, os altos picos
Dos quais busco, desfaço ao léu
Para te achar, minha Lua de prata,

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...