18 de maio de 2018

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar
Não faz desvendar nenhum mistério
Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo
E no além do além, faz nascer a esperança
Desenhada naquilo que só pode a vida definir
E agora sabe que tudo é ilusão, tudo visível aos olhos
E nada se desfaz na criação da alma
E vem surgindo o sol nesse caminho oculto
Que só se revela depois da tempestade.

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!