20 de junho de 2018

"Em meio a noite, antes de raiar o dia. Os altos montes estão ali, ainda que o mundo inteiro adormeça. Sonâmbulos reduzidos em carros desenfreados, onde os salteadores tomam suas vidas a nada. Porque são como correntes dágua. É um breve sono estar vivo. Mil anos, é o mesmo que um único dia, isso depende de quem você é para si...

Ontem assim passou, feito a noite em sua vigília
E pela manhã vai crescendo a erva e ninguém a vê
A luz oculta da noite se revela sempre pelas manhãs
E nas vigílias das noites, lobos sopram nas sombras risos
E faz do cansaço e enfado seu orgulho, e a vida se corta
Como um conto que se conta, não se conta os dias
E eira da estrada se desfaz ao rasto de  morte
Silenciando inocentes sonhos...

"Ensina-me a contar os meus dias de tal maneira, até que eu alcance um coração sábio. E domine em mim, todas as minhas vontades. Que eu domine a minha razão, conheça meus sentimentos e não viva de emoções."

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!