27 de janeiro de 2019

"Tornei - me uma sinfonia completa, regente de uma história única e inenarrável
Onde cada nota entoada sobre a direção da batuta pudesse formar variáveis para aprender
Aprender como quem não se importa com os ruídos e estórias
Tornei-me som estridente dos metais a assombrar o passado
Alinhando a hora presente para os cubos de cristais
Uma alma intocável,  um espírito destemido a saltar abismos
Desvendando segredos sem mistérios nenhum

"Óh noite solstícia, dá-me sentido da tua existência
Eterna e melindra da tarde que fica
Jaz um tempo para outro alvorecer
Cai sobre mim tua volúpia lilás de estrelas incontáveis
Desvenda-me teu mistério por detrás das montanhas
A iluminar ilhas e aldeias que me querem alcançar
Faz-me caminhar nesse alto monte a te tocar
Emerge tua força e faz-me brilhar como Órion e Plêiades
E deixa-me ganhar Ursa para presentear meu infinito amor."

Fui quem não posso mais ser por existir
Agora além da existência o peso das horas passadas
Me fazem refletir sobre águas calmas de um lago candescente
Vivo como raízes de uma semente que morreu
Óh vida,  seja a simples razão de toda mudança
Ganha-me pela tua força extraordinária
E Torna-me quem eu nasci para ser...

Os demônios

Os demônios A penumbra da madrugada fria Onde estreitos eixos se debatem Como um finíssimo aço na mata que se propaga Um saco de ossos v...