11 de janeiro de 2010

"Frida... A Lívia."

"Existe muitos desvios em nosso caminho. Ela só não aprendeu a escolher os errados."
E por quê? Era assim, tão confuso? Pensei que tivesse encontrado seus caminhos. Não havia esquecido? Das coisas que passaram? Ou era medo de esquecer, apenas?
Medo de alguma coisa nova... Medo de ter o desconhecido? De recomeçar do zero... Frida.
Um novo inicio, para acontecer novamente. Como se nunca tivesse acontecido, mas com a consciência de que tudo acontecerá.
Coragem de não mais sentir o que tinha... Não ter, ter, perder,e apenas sentir falta do que agora terá. Voltava para mesmice de ontem, de anteontem a antes de um anteontem... Ilusões, apenas miragens de ilusões. Diga-se que são amores que não teve, e de coisas que pode fazer amanhã. E ao pensar, sente o porque desta solidão boba, que te assombra. Se da conta de que é apenas fria, superficial, e as vezes, dona de seus pensamentos. Eu que te escrevo, não sei se estive próximo de uma fonte de águas cristalinas, a jorrar perfumes, pelo ar. Mas posso dizer que já senti o cheiro fresco desta fonte... Frida.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...