5 de abril de 2010

     Não pagarei pelos meus pecados. Pois das coisas que fiz, não me arrependo em ter deixado tudo para trás. Somente me sobra uma sentença, fazer as coisas boas que ainda não fiz. Tudo se suaviza, nada nos para. Simples ver, acreditar pode agora. Sentir em alguns momentos, e fazer a todo tempo.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...