29 de junho de 2010


── Algumas vezes, falei sem pensar. Imaginando que poderia ser da mesma forma a qual ouvi. Mas quando notei, me vi a mercê do que desejei pra mim falando por outro. Eles tinham me mostrado um caminho pecaminoso, eu tinha uma ponte. Passei por cima de tudo, os poços e abismos deixados para trás. Passei por invernos, estou passando a acreditar que a minha vida é uma toda primavera, que simplesmente pode se viver sem temer as coisas que nos falam, é sempre outonal meu olhar, para que meu viver seja somente aquela dita primavera florida.
//Brih, e suas primaveras desejadas.

Toda essa euforia pelo qual o tempo tem transtornado, o rarefeito em que a maioria dos homens negam por insuficiência física, causando o des...