19 de agosto de 2010

O nada existente pode, sim!
Nos tomar de tempos em tempos
Tão conscientes dos sentimentos
Superficiais ou profundos
Alguns anônimos que restituem
Os substratos dos reais
Que raramente alguém os penetram
Porque tudo, e sobre tudo, somos ...
Aquela tal evasão de nós mesmos.

"Eu e Ela."

Não são moedas meus anseios Ardentemente, desejo além do pensamento Porque não enxergo com os olhos Enxergo com a alma E somente ela sab...