20 de janeiro de 2011

"Percurso poético I.

"Se a minha vontade é mais forte do que a mim, e assim não pode conter-se. Então provo a mim, que sou mais forte do que a ela quando contento-me e aprendo por ser fraco pela força da minha não vontade."

Tempo de perplexidade
Medievalismo e demandas
Heráldica do por-vir
Abraços em poesias
Vigílias dos tempos
O talvez dos sonhos
Confins do infinito
Dósseis de ìris
Átomos de tempestade
Zunindo aos ventos
Imensos teoremas
Os vestidos reais
Bruxas urbanizadas
Liberdade de crer (Pela)
Ladeiras em ruas
Assépticas e abissais
Minaretes em vidros
Serpentárias montanhas
Ofídicas verticais
Desagravo dos túneis
Inoxidáveis e acrílicos
Aérossois compostos
Èbanos terrosos
Terrificante ideias e ideais
"Tremores de longe aos homens
Monalitas e cores de Nardos
Obras de uma bela fada."

"Eu e Ela."

Não são moedas meus anseios Ardentemente, desejo além do pensamento Porque não enxergo com os olhos Enxergo com a alma E somente ela sab...