3 de junho de 2012

"Estas coisas que sonhamos são sínteses do que podemos ter. São como coisas absurdas que não pensamos, mas aparecem em nossos pensamentos. È um fundamento incrédulo da realidade, é a partitura dos olhos, as notas do infininito firmamento."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...