31 de julho de 2012

"Estas notas que ela toca, sem mesmo uma partitura, se faz canção. Pois tudo que se quer inventar é como parte de uma canção de uma história que nunca viveram. Ela de olhos fechados, sabe que a vida é pacífica. Ela diz que as vezes é impossível, mas isso se ela acredita nisso. Cada nota que ela toca nesse piano, faz nascer uma intensa melodia, que vem de dentro. Cada gesto que ela faz, é como um renascer da vida para todo sempre, o sempre deste instante que ela faz ser uma canção. Cada dedilhar nesta tarde chuvosa, faz desenhar o horizonte, para ser a tela onde escorre as gotas d´'água. E sempre que chora, suas lágirmas são só orvalhos para regar as flores do seu jardim."

Para Juliana//.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...