23 de novembro de 2012

"De certo isso ainda não aconteceu. De certo, isso poderá acontecer. São como sonhos impossíveis aos quais jamais sabemos se são nossos ou do mundo. È um pouco que se realiza, um pouco que se sente. Não é preciso tudo o que se sabe, é necessário que se aprenda! Tão certo como se nasce e morrer uma flor e desbrota uma pétala. Juz para que haja sempre o vetor da vida que se realiza."

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...