14 de fevereiro de 2013

                  .Estranho estes crédulos perdidos
            Por coisas que são perdidas,
                             E mesmo sem entender, isso passa
                Como se uma tempestade inesperada

                    Passa por mim o vento, e passa novamente
              Se elas soubessem que são vidas, estas folhas
                Que se dispersam dos altos galhos
                           E agora eu as observo como quem sabe
          
           Que nunca nem jamais será do meu jeito,
                  Se estas nuvéns me movessem, longe eu iria
             Longe eu estaria, tudo eu seria
                       Mas é aqui neste meu jardim

                     Que regresso a cada dia que acorda
                Correm contra o tempo, eu espera na vida
                   Distante do vazio, eu me faço por paciente
            Só para viver um destino melhor do que meus planos.

                     Sublime que sou, 
             

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...