25 de junho de 2013

"Entorpece! Realidade. Distorce, os sonhos. Me fazem sentidos! Descubro, por detrás do muro. Mundo imaginário, de visões invisiveis. Que contemplo enquanto adormeço.
                         [Feito de riquezas mortas]

Gosto da palavra Que forma o verso E dá sentido ao pensamento Tudo pela metade Significa nada É como suicidar o pouco que se sabe E tr...