6 de outubro de 2016


Assim, como pode ser tão assim? Se nem sei d'onde vens?
Diante dos espelhos, que nos refletem, tão certo como somos, e nunca erra por se quer pensar. Tão assim, como o tempo nos chega, inesperadamente, e nos surpreende, é como por si só parar e reparar que vida há em toda parte. E tudo torna-se igual, se com os próprios olhos, não moldarmos aquilo que nos incomoda. Assim, como o dia se dá para a mais bela noite, inda que chuvosa, e então toda escuridão se dissipar para gerar luz, porque nunca poderá haver trevas sem luz.
  E são nossos olhos, tão assim, como as estrelas que tão pouco contemplamos.

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!