6 de outubro de 2016

"Não são as razões que encontramos, para sugerir o que vamos viver. Mas tornamos a nós, as naus das que nos torna a própria razão da existência. Deixemos os maus ventos, e naveguemos aos braços cansados, pois nossas pernas nos sustentam tanto que se deixamos o que nos dizem, realizamos tudo sem mesmo precisar sonhar."

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...