6 de janeiro de 2017

"Somos incompletos até que possamos encontrar o que nos move. Quero dizer; Somos nada quando sozinhos pensamos ser alguém. Coisa nenhuma temos, senão o intuito de buscar ser. Quando passamos a ser, muito se passou e deixamos mais ainda se ir... Então que tenhamos mera paciência em esculpir o instante, e nele aproveitar o momento, que também partirá. Então, sonhamos, porque só podemos realizar uma coisa. Quando outra abandonamos, e assim, nunca somos ou seremos nada. Senão simples transeuntes. Que pela manhã tem vida, e durante a noite; padece ao fechar os olhos, somos uma sinfonia formada de pensamentos. E só formamos a canção quando então, vamos, e realizamos sem ouvir os ruídos deste século."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...