18 de julho de 2017

Não domino mais minha inspiração
Pois não recuam de mim as palavras
Sem perceber fico perdido nas rimas
Que o vento sopra em minha direção

Ouço cada barulho vindo do mar
Sinto a suavidade gostosa da brisa
E junto com a inquietude das ondas
Minha alma se destina a poetisar

No embalo do vento, me atento
E arrisco sonhar cada verso
Que agora desenha a noite sobre a praia
Solitário como sou as vezes

A reserva da hora que carrego
Ao léu do estar aqui e agora
Feliz sem que haja razão maior
Senão a de simples existir

Silencia os medos, o que outrora era presente
Agora flui as ondas a inspirar
Mais bela canção para bailar a alma
Enquanto tudo sonho a viver, simples ser.

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...