1 de agosto de 2017

Terra sombria, são meus pensamentos...
Mórbidas formas, onde o abismo ganha força
E nada ecoa a cintilar a realidade
Este avesso de cores, onde o sol desvanece
Tempo em quê as eiras se perdem,
Todas praias se afogam...
Triunfa o silêncio, que faz-me tudo entender
Inda quieto, póstumo aqui
Sinto como quem ganha, a sensação de partir
De estar expulso da alma
Calar a dor que sinto, e deixar a febre cair
Suspeitando o coração que bate, mas para
E deixa-me pensar que nada sou
Senão exatamente as linhas deste poema
Quee descreve que nada há além deste reflexo vitral, empoeirado e antigo

"Somos feito uma imagem de um som inaudível! A cor como o mais rarefeito da vida em sua existência interna. Coisa pela qual nada ...