22 de novembro de 2018

No meio do silêncio da noite, apenas na fronte da lua se pode ouvir as estrelas falar ao coração. A sós no parapeito da janela, por onde passa o vento e jazem às horas como composição perfeita da vida que flui incrivelmente aos olhos. Sem palavras, a noite fala do amor só em existir e faz silenciar todos os medos. A alma descansa, as dúvidas se desfazem. E no silêncio vem a vida se sentar no soslaio deste cômodo vazio, mas repleto de uma paz que surge desta fonte invisível e real, a mente."

21 de novembro de 2018

Eu sou essa suave estação
Que acontece sem eu me ver
Me deixo ser como quer meu coração
Todas estas maldições se desfazem
Porque sou o estado perfeito
Que deseja ser a vida
Nada me falta, senão ver a noite
Após ter se ido o dia
Com sua finitude que surgiu
Gentil partiu para me deixar ser
Descanso dessa minha alma
Que incolor, flui como Ribeiro
De águas transparentes e infindáveis
Sou pleno diante dos sinais incontáveis
Estrelas e mares a dançar nas praias
Nobres e luas sobre outeiros
Fazendo dançar os lírios
E não há magia senão vida
Que vem descendo sobre a brisa esquisita
De todo invisível que faz realizar
Sem ritos secretos...
Só eu e ela."

19 de novembro de 2018

Nos caminhos de pureza, nos caminhos de beleza se eternizam nossos instantes. E transformado o momento, se aprende que a verdadeira prioridade é cuidar da alma. Para que as nossas emoções estejam estabilizadas e se houver a falta de alguma coisa. Um simples passo seja capaz de realizar. Porque deixamos de notar a natureza por todas as coisas que acontecem ligeiras e nos impedem de viver. Mas nos fazem reféns dos acontecimentos que nunca planejamos. Qualquer caminho leva há algum lugar, mas só na satisfação da alma, percorreremos um caminho inda que cheio de dificuldade, com póstuma felicidade e satisfação. Repetir os dias é quase a mesma coisa que andar para trás. Receio que ter tudo nem sempre é ou será o caminho de satisfação de um homem. Mas seguir sabendo que a liberdade não o impede de percorrer um caminho de belezas infinitas e que proporcionam a graça da vida.

17 de novembro de 2018

Gosto da palavra
Que forma o verso
E dá sentido ao pensamento
Tudo pela metade
Significa nada
É como suicidar o pouco que se sabe
E transformar a verdade
Em meia verdade
Então, tudo é mentira
E tudo ter não vem pela metade
Porque só sabe ler o mapa
Quem o fez inteiro."

Gosto da palavra
Que forma o verso
E dá sentido ao pensamento
Tudo pela metade
Significa nada
É como suicidar o pouco que se sabe
E transformar a verdade
Em meia verdade
Então, tudo é mentira
E tudo ter não vem pela metade
Porque só sabe ler o mapa
Quem o fez inteiro."

16 de novembro de 2018

É realmente perturbador esse afastamento entre o homem e a criança. É a mais complexa prova de que o homem por si só perdeu a inocência do ser. Por isso, tomado pela cólera, pune as crianças por não ter o domínio de suas emoções."

15 de novembro de 2018

Teus olhos. Sabe o que são teus olhos?

Teus olhos são chamas vivas
Acesas pela alma
Que perturbam catacumbas
Porque tua mente, mente
Mas te faz também viver
Teus gestos são escolhas
Que são mantidas acesas
Nunca e jamais se apagará
Enquanto então viver, és dominadora
De teus ventos e tempestades
Como de sonhos e sub-realidades
Não tem segredo nenhum/
Calar pensamentos que são brisas
E buscam a tormenta do teu ser
Desfaz que amanhã é outro dia
E de manhãzinha, outra ocasião
Se criou, desmorona este bonde
Porque não basta ser a chuva
Tem de ser o trovão
Não basta ser a selva
Há de ser às feras
Não é o pensamento e nem a mente seu estado
É exatamente o que perservera acima do que a coloca no chão...

Teus olhos. Sabe o que são teus olhos?

Teus olhos são chamas vivas
Acesas pela alma
Que perturbam catacumbas
Porque tua mente, mente
Mas te faz também viver
Teus gestos são escolhas
Que são mantidas acesas
Nunca e jamais se apagará
Enquanto então viver, és dominadora
De teus ventos e tempestades
Como de sonhos e sub-realidades
Não tem segredo nenhum/
Calar pensamentos que são brisas
E buscam a tormenta do teu ser
Desfaz que amanhã é outro dia
E de manhãzinha, outra ocasião
Se criou, desmorona este bonde
Porque não basta ser a chuva
Tem de ser o trovão
Não basta ser a selva
Há de ser às feras
Não é o pensamento e nem a mente seu estado
É exatamente o que perservera acima do que a coloca no chão...

Não viva para si o momento como aquilo que você pensa ser.  Assimilando a verdade por uma razão absurda. Queres ser forte, a ponto de veres o ouro e não deseja-lo? Negue dentro de si criar uma coisa que tão simplesmente quer te fazer criar a ilusão daquilo que te afasta de si mesma. Por mais que uma coisa possa ou queira se repetir, você é a única pessoa capaz de viver e reverenciar o novo.

10 de novembro de 2018

1989

(Vou te contar uma história)

Os demônios existem, e eles não se manifestam com chifres e rabos como em contos Grim...

Nasci em um ano comum, pelo qual não há nada em especial, sobre o efeito das moedas e das alterações sociais pelas quais estavam sobrecarregadas de mortandade. Estava certo de que havia muito mais do que eu podia ver e enxergar todas as coisas como elas se formavam, estava muito além de receber o que já estava pronto, feito. O movimento de todas as regurgitações propiciavam anseios fantasmagóricos, onde as estórias ecoavam como a própria locução da morte ainda em vida. Tempos remotos pelos quais nunca puderam apagar as fogueiras das evoluções. Possuir sanidade de fato, estava mais no inconsciente do que nós atos que atrelavam o cumprimento de uma palavra chamada Deus. Dominador de todos os eventos passados e presentes e futuro, a vida em si não passava de um traslado pela qual nada e nem ninguém haveria de escapar...

Ainda antes de chegar aos 18 anos, conhecia já muito bem aquele mundo, o que estava acima do submundo. Haviam "céus, além do céu. Estava convencido de que havia mundos, também. Não havendo paixões ardentes ou sonhos imortalizados, todos os tipos de caos vinham pelas tuas mãos e nada fugia do controle absoluto do Criador. Os enganos da ciência, o controle de pragas e os restaurantes da cidade, tudo acontecia como se acendiam as luzes noturna dos pequenos municípios das grandes cidades. Éramos como estrelas sem lar e brilho. O diabo então, se apresentou no balbuciar de um vento forte e frio, na fissura de uma noite sem luz...

Até aqui são estes relatos que posso lhes contar. Mas espero profundamente que acredite, os demônios, eles existem

6 de novembro de 2018

Deixa dormir esse dia

Deixa sonhar o futuro
Adormecido no passado
Juntamente aos sentidos
Que transformam o instante

Faz nascer a estação
Que surge repentina
De cores sem tons
Atenuantes brilhos ressurgem

Entronizam altos montes
Que definham o tempo
Para no espaço recriar
Leis invisíveis e mutáveis

Balaústres insensíveis desmoronam
Na concepção da hora que desfaz
O reverso estado apático
E ruminam as paredes

Que em breve de nada serão
Senão vozes esquecidas
De mortos que riam
Mas agora suspiram frio

O pensamento solúvel de suspeitas
Que não eram/ nada.
Se desfez/ partiu...
Para o além-do-além

5 de novembro de 2018

Ode inenarrável

Inóspitos sentidos que deslizam
E desfazem sonidos dos pensares
Estranhezas monumentais e intocáveis
Distantes da existência, faz viver

Sobressaltando astros e sombras
Ruminam antigos mares de ilhas
Vertentes indomáveis que palpitam
Sentidos que fluem águas rasas

Que pisam os pés, faz caminho
Além d'antes do arredor nascente
Fazendo nascer solstício de inverno
Como alto poente do sol impetuoso

Afluente e derradeiro caminho
De sons ensurdecedores
Que movem espaço e tempo
Entre partida e chegada

Como um mundo sem tom
E de cores que não são
Assim desfaz e ressurge
Alto e sublime verso

Para o além do que é
Deixando assim o que foi
Para transformar o segundo
Que sucumbe o instante

Recria a história e desenha o medo
Sentido sem lógica, desmensurado
Que não cabe em nada
E se desfaz feito vento.




2 de novembro de 2018

"Não há perdas, mas partida que definem as chegadas das coisas. Sejam físicas ou invisíveis. Tudo acontece conforme já está determinado, nada está errado. A vida apenas evita que haja respectivas formas precoces de acharmos o fim do ciclo da vida. Cada dia é a soma do destino escrito, cumprimo-os conforme como as coisas hão de suceder. E dentro do porvir, atitudes más também possuem um significado e tanto. Maior do que quando pensam e nada fazem."

Os demônios

Os demônios A penumbra da madrugada fria Onde estreitos eixos se debatem Como um finíssimo aço na mata que se propaga Um saco de ossos v...