30 de novembro de 2013

"O que conduz o mistério sobre uma noite de penumbra? O que há sobre aqueles trilhos abandonados que me prendem a atenção? Onde se encontra os sonhos que perdi pelas noites passadas!? Quem amo tanto que ainda não senti?"

27 de novembro de 2013

"Alcançava sutilmente a escuridão
Ouvia-se os gritos em meio a flora escura
Onde o medo se espreitava por entre os galhos
O que corria além dos sentidos?

O som do vento cortante como a navalha
Que dissipava o ar denso de escuridão
Porque ela o levava ali?  Gruta escura e fria
Frio obscuro de arrepiar as espinha

Pés descalços sobre um campo mórbido
Flores noturnas sobre solstício de uma longa madrugada
Infinito firmamento  de estrelas perdidas
O que alcança seus passos? Silhueta sombria

Abismos que assolam os sonhos,
Trás a alma ao pesadelo profundo
Onde a realidade se curva a imaginação
E os pássaros noturnos cantam uma história

                                      Palpita o vento que sopra do norte
                                          E trás as folhas de outono"

26 de novembro de 2013

"Aqui

"Neste profundo silêncio,
se encontra a razão do pensar
Que de tão sublime
Faz do céu seu mar

Saudade do inenarrável
 Do vento que varre a terra
Crenças sufocadas e esquecidas
Noite tênue de um frio solene

Neste campo, dançam as flores
E o perfume que sopra o ar
Carrega a fragrância da vida
Que nasce e morre a cada dia

Escombros assombrados,  escuros labirintos
Que se partem aos passos vagos
De olhares que espreitam as vidraças
Onde o sonho se faz horizonte."
"Na concepção do tempo, somos um grão de areia. Na escuridão não temereis a nada, porque jamais haverá sombras, sem luz. E assim eu sou a luz dentro de qualquer escuridão."
"È só o vento que bate a janela. O silêncio de corredores esquecidos, passos perdidos. Que não se voltam para trás. São teus lábios que mencionam mais profundas canções de ninar. Uma nota que desperta o sentido para as flores do teu jardim, que nunca me pareceu mórbido, até sua partida."

25 de novembro de 2013

"Instante em que,

"O silêncio enternece estes vastos corredores
Cheio de telas e silhuetas, onde encontro você
Perdida no pensamento em que também se perde os meus passos
Chove enquanto descaminho do meu acalanto

As flores lá além-do-jardim, desejam voltar
A serem orvalhadas pelas gotas cristalinas
Que trazem e carregam devaneios distintos de mim,
O que se esconde por detrás destas pesadas portas

Que se trancaram a anos, deixando o ar de mistério
Anos que não voltam senão pelo querer do pensamento
Que eleva o sentido das horas, e te levam novamente
Ao cais do outro lado do horizonte, que me busca

Alusões sorrateiras que me perturbam a escuridão,
Olhos que acendem as velas, dissipando o medo
Carregando para longe a sensação da insonia
Por através destas janelas vitrais e desenhadas

                   .Como um INSTANTE que desvanece alta-madrugada,
                                      E ela sonha.
             Sobre o solstício de inverno, até que encontre
                 Seu destino perdido por entre ruas abandonadas.

"O que ultrapassa os trilhos,

Corre devastandos as folhas
Trazendo novos ares, como quem vê
Que o que sente esta nas linhas
Que atenuam os momentos

Trazendo a razão de um devaneio
Assim quando chove e molha os campos
Sendo uma criança o dom da ternura
Que dedilha mil notas fazendo uma canção

Brilho de uma luna distante
Que alumia a cidade do sonho
Palpita o pesadelo a realidade
Ao quem dera despertar junto ao dia que nasce

Trazendo o sol para se deixar a lua
Que demora a surgir em seus tempos
Que nunca se perdem, mas voltam
Para tudo realizar como a sensação do destino

Coração que palpita a mente,
A que decifra o sentimento
De deitar-se ao leo do inverno
Pensando em todas as primaveras que se forão.

22 de novembro de 2013

"Reconheci que todos os homens nascem da carne. E que alguns são adotados por um Deus."

21 de novembro de 2013

"Não haveria de existir uma força superior, que nos emerge além do horizonte. Senão existisse algo que pudesse contrariar o desejo do impossível. Faz sentido servir algo que seja maior do que a nós. Porém, acreditar naquilo que não vemos, já decifra que todo impossível é realizável."

18 de novembro de 2013

"Somos inteiramente um mistério para a alma, quando não a percebemos. Tudo que por nós, passa, trás aquilo que chama-se realidade, assim como se pressente a chuva pelos olhos nublados, o vento também pode carregar para longe um sonho, o que não nos frustra por não realizarmos, mas o que passa por nós e não alcançamos ou percebemos que realizar esta até onde nossos braços alcançam. Mas como quem sente pelos olhos, dá sentido a alma que transborda em vasto desejo de libertar-se do corpo, para uma realidade diferente daquela que somente o corpo vive sem sentir que o verdadeiro prazer esta em 'descobrir-se', realizar-se em todos os sentidos e aspectos da vida.
          "O homem que não 'acredita' na alma e a sente, jamais poderá realizar os impossíveis."
         "A travessia de um deserto jamais será impossível para aquele que deseja alcançar o sol."

15 de novembro de 2013

"Para almas e sonhos que se encontram, a realidade não basta.
               Não são as coincidências, são momentos que passam.
      Assim como as coisas que nos buscam e corremos as pontes.
          Como quem descobre que estar vivo e sentir é o necessário."

14 de novembro de 2013

"Para se

"Seguir estrada de terra,
Rumo a uma casa distante
Reconhecer a nós com o tempo
Ouvir o som da chuva e deitar-se na rede

Ver as gotas cairem e molharem o campo
Acariciar as flores e correr distinto
Fazer do momento uma canção ou poesia
Com quem se ama ou gosta

Sentar-se a cadeira a companhia de algo
De alguém que lhe brinde o fim da tarde
Conhecer-se por fora como quem olha as coisas
E sabe que o tempo é ligeiro como o vento

Orar os sonhos, realizar o desejo
De estar lá além-do-além
Sobre olhos que nos asseguram do sentimento
A companhia de quem sonhamos e conquistamos."

Passa assim,

"Os sonhos por todos,
Os que insistem  ternas realidades
Detrata os sentidos e o segundo
Trás o momento e realiza o futuro."

13 de novembro de 2013

Joseph Vargo, Nox Arcana.

[...]
     "O som de sua voz acalma mi'alma. Faz com que tudo pareça passageiro, como um vento que entoa sua voz e faz com que tudo seja tão real que me achego nos mais profundos de seus pensamentos. Assim como imagino minha alma."
                "Como se fechasse os olhos, e pudesse ver outro mundo. Como se pudesse ser a gota de orvalho, que trás o sol de verão. Como se fosse um mundo, onde tudo podia fazer acontecer sem ser uma passagem, apenas."

5 de novembro de 2013

"Em silêncio,

Eu observo o dia passar
Me trás as horas, que passam
Deixam o sentido ir-se
Conhecer o que guardado está

Sombras se aprofundam aos caminhos
Nos seguem como o destino quer
Não é como um sol distante a lua,
Mas sim um tempo que se aproxima

De nós para o além
Como um ponto que se encontra
E desfaz-se de todos os nós
E caminha livre sem fim."

"Dedico a ti,

As mais belas canções
Os sonhos mais reais
Um céu de nuvens lúdicas 
As estrelas intocáveis."

2 de novembro de 2013

   "Olhos que desenham o mar, pensamento que se  faz horizonte."
            São teus dedos a dedilhar notas que nunca se perdem a melodia.

"Tentei descrever a Deus em belos versos Mas se quer consegui me expressar... Seu poder e efeito, são soberanos Eu consigo apenas se...